Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Há luz da pena

Há luz da pena

Palavras ao vento

O começo por vezes é difícil como, também nos é escolher as palavras adequadas. Nunca é aquilo que presisamos, que queremos e que, gostamos. Porquê?!?!?! Nestas alturas imediatamente focamos aqueles que também estão lá, todos juntos. Aliviemos por momentos os nossos corações que, receberam de belo-agrado as nossas tristezas mas que, levam boas novas. Pelo menos eu quero acreditar que sim. Temos que aceitar mas não concordamos de maneira nenhuma. Porquê?!?!?! Damos voltas à cabeça. Os “nossos” são, particularmente especiais e não despensamos nem um pouco de nenhum. Que vamos falar, que vamos fazer, que vamos pensar, que vamos…. Nada!!! Agora, que vamos buscar, que vamos lembrar, que vamos recordar, que vamos…muito boas e só lembranças. O pensamento voa em milészimos de segundo porque somos obrigados a pensar cruamente. O quê?!?!?! É como se o puzzle se desmembrasse em pedaços tão pequenos que não vemos nada e, para isso é preciso de tempo e espaço Aí, surgem os imensos “ses”, os ???, os porquês, … A seguir lembramonos das pessoas que estão ainda ao pé de nós, que são tão queridas e que nos querem tão bem. É recíproco, ainda bem. Como tal e por serem essas coisas boas demais, para nós, temos que reagir depressa, temos que levantarmos, temos que procurar a melhor maneira de atenuar o menos mal. Assim pouco a pouco e puzlle junta-se, o tempo é real e o espaço é perceptivel. As palavras onde estão? Aquelas que têm significados agri-doce? Aquelas que nos abituamos ouvir e a dizer desde a nossa infância. Aquelas que, por magia, nos continua a dar alento para, prosseguir o nosso rugouço caminho. Chegou a nossa hora de as colocar como nos ensinaram, de tratá-las tão bem para nos orgulharmos pelos nossos que as utilizaram e de terem todo o sentimento como quando as usaram. Bem sabemos o que lhes custou e o que fizeram para fortalecer o futuro, para melhorar o presente e relembrar o passado. Foi com todo a agrado e amor que nos mimaram para que com certeza continuássemos o futuro pois vêm lá muitos mais. Saibamos, por isso, persevar e amar praticando os que estão e também áqueles que chegaram brevemente. Cheguei ao fim da carta mas foi difícl começá-la. Meu coração sossegou um pouco. 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D